terça-feira, novembro 11, 2008

Caso Prático Direito da Familia

Gertulio era um trolha da Ariosa, bonito e bom rapaz, pleno de charme rural e um olhar de peixe fresco, mistura de carapau com sardinha, num sorriso de robalo, com um odor coincidente.
O maior prazer na vida de Gertulio é dar umas belas porradas na sua amada mulher Engrácia. Não que o fizesse por mal; boa parte das vezes, até se arrependia, para semanas volvidas, quando o álcool lhe roubava o pouco discernimento, regressar embriagado a casa e presentear a mãe dos seus filhos, com mais uns delicados murros e uns amorosos estalos!
Engrácia estava ensinada a não se queixar muito. Assistiu ao caso da sua querida irmã, Marinalva, que morreu, após uma derrota do Benfica, com um tacho na cabeça. Em tribunal, porque não se provou a culpa do seu marido, Hermenegildo, este ficou em liberdade. E carente: tão carente que quer casar com a filha da sua falecida mulher!
Quid Juris

3 comentários:

ALEXANDRA MAGRO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
ALEXANDRA MAGRO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
alexandramagro disse...

Peço desculpa, mas os comentários acima destinam-se ao caso prático abaixo.
Sem querer enganei-me!