terça-feira, novembro 21, 2006

Será um costume ou apenas uma moda?

Informa a Rádio Pax que: "Uma professora da escola do 1º ciclo do ensino básico do Bairro da Esperança foi agredida na última Sexta – feira. A docente foi espancada pelo familiar de um dos alunos da escola e teve mesmo que receber tratamento hospitalar. A situação não surpreende professores e auxiliaresque ali leccionam, já que as ameaças físicas e verbais são prática diária naquela escola.As ameaças verbais e o clima de instabilidade e insegurança têm vindo a agravar-se nos últimos meses na escola básica do Bairro da Esperança. Uma das situações mais graves acabou por acontecer na última Sexta-feira. Tudo começou com uma pequena discussão entre dois alunos, no espaço do recreio. Ao tentar separar as crianças a professora foi brutalmente agredida pela familiar de um dos alunos que pulou o portão da escola com cerca de dois metros de altura. A professora teve que receber assistência médica e a escola acabou por ser encerrada. As portas do estabelecimento estiveram fechadas até ao final do dia de ontem. A situação preocupa os docentes e auxiliares, até porque não é a primeira vez que acontece."
Continue a
ler aqui.

4 comentários:

patricia disse...

Como já lhe havia dito no post anterior será provavelmente necessario e imprescindivel os profs passarem a ter formação ao nivel de defesa pessoal... O bairro da esperença tem muito que se lhe diga e provavelmente essa briga entre colegas no recreio teria outros aspectos, que seria necessario ter em conta, como drogas, trocas de aparelhos electronicos, dividas entre outros, que se poderão realizar entre jovens. Para não falar que durante essa briga entre eles havia outros observadores que controlavam a situação, tanto que acabaram por agredir a prof brutalmente. É pena que por este sucedido se tenha encerrado a escola e quem ficou a perder foram todos os outros alunos que nada tiveram com o sucedido. Muitas escolas nos dias de hoje já trabalham em parceria com a gnr, em casos de segurança na escola e esta escola seria uma das que provavelmente necessitaria desta intervenção, não só de fora para dentro da escola como o contrario.

daniela lebre disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
daniela lebre disse...

Na minha opinião o comentário que o professor nos deixou, faz sem duvida o relato de uma situação não deveria acontecer independentemente de qualquer que fosse ao problema intrínseco, no entanto e não querendo de forma alguma denegrir a imagem do Bairro da Esperança, toda a nossa turma sabe, até por o visitou no âmbito de uma disciplina do 2º ano, que o Bairro é bastante problemático e que apesar dos lentos e fracos progressos que o bairro tem sofrido existem problemas sociais e económicos gravíssimos inerentes neste local e este caso de agressão é apenas um de tantos outros não relatados nos meios de comunicação social que acontecem no seio do bairro, que acabam de certa forma por alimentar problemáticas intermináveis no local. O Bairro Da Esperança sempre foi problemático e tal facto é sabido, e continuará a ser...infelizmente é uma realidade conhecida por muitos de nós! É certo que o que lá aconteceu poderia ter acontecido num outro local, numa outra sequência, no entanto, devo referir que no Bº. Da Esperança existem muito mais probabilidades de uma situação como esta acontecer devido ás problemáticas que lá se criam, desencadeiam, e desenvolvem.

Teresa Pica disse...

Costume? Moda? desde quando se pode pensar que è moda espancar alguém? Ainda por mais uma professora? Sinceramente onde vivemos? os alunos não tem educação nenhuma... andam sempre à pancada nos recreios...,. e UMA PROFESSORA VAI TENTAR TERMINAR com a briga e ainda leva por tabela? Que raio de futuro tem a nossa sociedade? Colegas... e nós futuras assistentes sociaia, o que podemos fazer? Se já é habitual este tipo de situações neste sitio em concreto... está na hora de haver um pouco de civismo! é uma situação muito chata! e agora como vai lá voltar a professora? com que cara? (possivelmente toda roxa) e vai ter que enfrentar tudo isto..Teresa Pica