segunda-feira, novembro 20, 2006

Um post que faço questão de deixar!

Uma manequim brasileira, de 21 anos, morreu esta terça-feira na sequência de uma anorexia nervosa. Segundo a imprensa brasileira, a jovem estava internada há vários dias com uma infecção generalizada, que resultou da anorexia.Ana Carolina tinha 1,74 m de altura e pesava cerca de 40 kg. Apesar de ser extremamente magra, a modelo trabalhava em agências de renome internacional como a Lequipe, Ford e Elite.Uma prima, com quem Ana Carolina morava quando estava no Brasil, conta que a jovem só comia maçãs e tomates e que, logo após as refeições, se fechava na casa de banho, provavelmente para vomitar.A família de Ana Carolina espera agora que a morte da jovem sirva de alerta para pais e jovens que enfrentam a doença. A mãe conta que quando insistia para que a filha comesse melhor, ela dizia que não tinha vontade de comer, que a comida «não descia», mas nunca admitiu que estava doente.
Anorexia também mata em Portugal
Os números concretos da doença em Portugal ainda não são conhecidos, mas os especialistas estimam que uma em cada 250 portuguesas, entre os dez e os 17 anos, sofram de anorexia. Em declarações ao PortugalDiário, Adelaide Braga, da Associação dos Familiares e amigos dos Anorécticos e Bulímicos (AFAAB) afirmou que 70 por cento dos anorécticos atingem a cura, em 20 por cento dos casos a doença atinge o grau crónico e 5 por cento dos doentes acabam mesmo por morrer.A anorexia nervosa pode levar à morte em consequência das alterações orgânicas e metabólicas originadas pela desnutrição. Causa problemas cardíacos, renais, infecções, deterioração do tecido muscular, perda de massa óssea e falta de menstruação.Adelaide Braga explica que «é impossível que as famílias não detectem um caso de anorexia» até porque os doentes «chegam a comer só uma maçã ou um iogurte por dia», mas é «muito difícil» ajudar os anorécticos porque «eles não admitem que estão doentes».Ainda assim, a responsável explica que «não é impossível ajudar» e que é necessário que as famílias façam alguma coisa, «nem que seja optar pelo internamento compulsivo». «Não podemos ver alguém a caminhar para a morte e não fazer nada», afirmou.A responsável recorda um caso de uma jovem lisboeta que sofria de anorexia e estava a ser tratada por uma psiquiatra. «Quando atingiu a maioridade, interrompeu o tratamento. A médica insistia com ela e com a família, mas os pais diziam que não podiam obrigá-la. Algum tempo mais tarde, foi internada e acabou por morrer devido a infecções causadas pela doença».Mas não são só os factores físicos que levam à morte. Segundo a responsável da AFAAB, a maioria das mortes por anorexia devem-se ao suicídio. Adelaide Braga recorda outro caso, ocorrido em Portugal, de uma jovem que sofria da doença e acabou por recorrer ao suicídio. «Atirou-se para a linha do comboio e morreu».
Continua aqui.

6 comentários:

Silvia Soares disse...

Obrigado sao este tipo de post que fazem do nosso blog a cada dia que passa mais interessante e curioso de ver.

susana disse...

Realmente é quase impossivel ficar indiferente ao post que colocou,pois infelizmente a anorexia é um problema cada vez mais presente na sociedade actual,sociedade esta que vive das aparências.

monica disse...

Belissimo post. eu ouvi esta noticia ontem a noite e fiquei simplesmente chocada... e pensei bastante no assunto!
Eu concordo, com a imprensa, quando dizem que a maioria das agencias é culpada!as agencias de modelos deviam informar-se melhor com os medicos que lidam com este assunto.
pode ser que a morte desta jovem anorectica sirva alerta para todos os pais, amigos, agencias, medicos etc. As jovens de hoje teem que se consciencializar que aquele tipo de "corpos danone" so nos trazem problemas a nivel da saude. Mas não... as jovens insistem... ainda nao conseguiram compreender... deviam passar aqui no nosso blog e verem as fotos que o Dr. Hugo postou.
enfim...
faltam-me as palavras!
Jovens... abram os olhos... antes que seja tarde e não os voltem a abrir... :\\

Tania Sequeira disse...

Gostei bastante do post que o doutor públicou, apesar de nos elucidar sobre a triste realidade que é a de vermos cada vez mais modelos com as quais nos por vezes nos identificamos e gostariamos de ser como elas, sujeitarem-se a dietas rigorosas e a ficarem cada vez com anorexia devido ao competitivo mundo da moda... Esta doença não só afecta as modelos mas tb as jovens adolescentes que sonham em ter um corpo "escultural" e que descoram o importante que é terem uma boa alimentação e cuidar da sua saúde nesta faze de crescimento que é tão importante. Só me resta dizer que as aparências por vezes iludem e o que parece ser fenomenal por foram por dentro pode não estar nas merolhes condições e até mesmo pode estar doente.

Teresa Pica disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Teresa Pica disse...

Extremamente chocante e muito triste isto acontecer nos dias de hoje. Tudo pela moda e por dinheiro. Raparigas novas deixam-se levar por conversas outras vezes chantagem dos seus chefes da moda que as tratam como "bonecas" e não como pessoas, só para conseguir atingirem os seus objectivos profissionais. Este caso é para mostrar à juventude para NÃO se deixarem influenciar por comprimidos, drogas e dietas loucas porque assim não conseguem ir a lado nenhum! Sejamos realistas e temos que nos aceitar como somos. Teresa Pica